quarta-feira, janeiro 18, 2006

Enganos

Antes não sabia o que isto era. Depois conheci o Vasco e a minha vida deu uma volta de 180 graus. Foi uma paixão arrebatadora, que é aquela palavra que usam sempre nos romances de cordel e que eu achava a coisa mais pirosa do mundo. Mas foi isso mesmo. Conhecemo-nos numa noite de trabalho e de repente já não havia nada a fazer. Havia só o carro onde ele me deu boleia para casa, as luzes no Tejo, no outro lado do vidro, e dois corpos que não se conheciam mas era como se sempre tivessem sido um do outro. Depois foi o regresso a casa, o João a perguntar-me como tinha sido o meu dia, a loiça do jantar para ir para a máquina e o miudo com os dentes a nascer. Foi o regresso ao mundo real, ao aniversário dos seis meses de casamento e à vida de todos os dias que, no entanto, não foi suficiente para me esquecer do Vasco e do fim de tarde junto ao Tejo que havia de mudar para sempre os meus dias.

Antes não sabia o que isto era. Achava que só se podia amar uma pessoa de cada vez e que os amores eram eternos. E afinal não são. E acontecem assim, quando andamos desprevenidas, enchendo-nos a cabeça de sonhos e o telemóvel de SMS que é preciso apagar imediatamente, não vá o João lembrar-se de os ir espreitar.

E eu, que sempre jurei que não era capaz de mentir, de enganar e de fingir desta maneira, descobri que sou uma actriz e que sou capaz disso e de muito mais. Só não sou capaz de dizer ao João que acabou e de dizer ao Vasco que quero ficar com ele para sempre. Porque não quero ficar sem nenhum dos dois, mesmo sabendo que estou no meio de uma fogueira que às vezes nem me deixa respirar.

17 Comments:

Blogger Sol said...

Meio complicado!!!

10:12 da manhã  
Blogger Bekx said...

Uma espécie de "Match Point" da T&V;)

12:59 da tarde  
Blogger MCM said...

Ui...que dificil.

2:23 da tarde  
Blogger Rit@ said...

De cortar a respiração...

4:24 da tarde  
Blogger SD said...

Uiiii!

11:39 da tarde  
Blogger ci said...

fantástico.

12:14 da manhã  
Blogger miak said...

Muito bonito...

10:36 da manhã  
Blogger sónia said...

Acontece!

12:42 da tarde  
Blogger Pensando no variável said...

oi... como seu blog é conhecido, resolvi vim até aqui para descobrir o porquê.

beijos

10:38 da tarde  
Blogger Luz said...

Caramba, sua desagradável! Deixe-nos lá acreditar no amor único e linear, que assim até dói: a loiça, o miúdo e o amor tórrido num carrito à beira Tejo! Ninguém merece, coitadinha da protagonista, coitadinhos dos românticos incuráveis como eu, que assim não me decido! ;)
Excelente post! :)

1:36 da tarde  
Blogger a mesma said...

Só ontem é que conheci o "Tangos e Valsas", os meus parabéns, por tudo. Os posts são maravilhosos. Não consigo parar de ler.

6:09 da tarde  
Blogger Pata said...

nem sei...que dificil situação.
de cortar a respiração.

12:24 da tarde  
Blogger polegar said...

pois...

3:49 da tarde  
Blogger remiguel said...

"Antes não sabia o que isto era. Depois conheci o Vasco e a minha vida deu uma volta de 180 graus"

Também já me sucedeu uma coisa igualzinha!

11:54 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

quero lá saber!!!... o amor ainda é único pelo menos só, para um e cada um, de sua maneira...lololo.. Vem mas é ver a minha casinha nova!!! Beijokas gordokas Marina

12:24 da tarde  
Blogger t&v said...

não tens melhoras, reluis :)

8:44 da tarde  
Blogger Cleopatra said...

"Porque não quero ficar sem nenhum dos dois, mesmo sabendo que estou no meio de uma fogueira que às vezes nem me deixa respirar."

Boa escrita...
Muita sinceridade e muita coragem!

6:27 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home