sábado, agosto 06, 2005

Paranoias

Entraram os dois no Correio. Calças de fato, pólos azuis e chinelos de borracha. Barba negra, cerrada, e sacos de plástico do Modelo na mão. Sorri-lhes assim quase sem pensar, porque tenho este hábito de cumprimentar as pessoas de manhã, que me ficou dos tempos da província. Depois arrependi-me logo. E se fossem dois perigosos terroristas? Tinham todo o ar disso, aliás. E o que trariam no saco? Sorri-lhes e arrependi-me, porque a seguir vieram perguntar-me se tinha um polígrafo e ficou toda a gente a olhar com ar desconfiado, à espera que fossem fazer explodir a bomba que traziam dentro do saco. Sim, porque isto nunca se sabe. Ainda esta semana li no Diário de Notícias que a brigada antiterrorista da PJ foi chamada de urgência a Sintra quando encontraram um Corão em cima da secretária de um empresário libanês. E mais uma revista aberta numa página com um artigo sobre os atentados em Londres. E aquele livro do Hitler que, valha-nos Deus, felizmente é proibido neste nosso democrático País de tão brandos costumes. Tudo provas de que havia ali qualquer coisa, claro. Os vizinhos até vieram logo comentar que o empresário era muito estranho, que sempre tinham achado isso e se calhar até é amigo destes dois do Correio. E se a história saiu no Diário de Notícias, que é um jornal tão sério, é porque deve ser verdade. Foi isto tudo que me passou pela cabeça quando lhes estendi a caneta, a pensar no que iriam eles enviar pelo correio. Porque eles andam aí, toda a gente sabe, não é? Estes por acaso até foram muito simpáticos e cumprimentaram-me à saída, e tudo, mas com aquelas barbas negras e aquela pele tão escura, a gente nunca sabe, não é?

(Para quem não leu, a notícia saiu mesmo no DN. Deu para umas belas gargalhadas matinais. Mas fica-se a pensar até onde vai parar esta paranoia...)

4 Comments:

Blogger miak said...

Na crença muçulmana, quando alguém morre, tem que atravessar uma ponte fina e afiada como o gume de uma espada. Se o conseguir chega ao Paraíso…
Dos muçulmanos que conheci lembro exemplos como este, de beleza e mistério...embora diferentes...

Espero não começar a olhar para os seus sacos e mochilas...temendo...

8:04 da tarde  
Blogger polegar said...

raios partam a porcaria da xenofobia e da ignorância, que são achas tão boas para a fogueira dos fundamentalistas, que gostam de estimular o pânico, para depois estimularem a mesma da xenofobia. contra os seus. animais, são todos animais. irracionais e maus.
e fazem-me tremer e odiar-me por ter medo. porque há gente boa e má de todas as cores e feitios. mas agora já é tarde, e temos medo.

4:21 da tarde  
Blogger t&v said...

ainda não é tarde para contrariar isso. e para ignorar notícias como aquela do DN. ou simplesmente dar um par de gargalhadas com elas

9:29 da tarde  
Blogger Rita said...

Acho mesmo que o gajo que deixou aquilo tudo lá em Sintra ainda se está a rir...

12:48 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home