domingo, novembro 14, 2004

Fadas do lar

Antes de mais, uma pequena explicação: eu sou louca por livros. Uns coleccionam borboletas, outros multas de trânsito (por acaso também tenho por aí algumas no fundo de uma gaveta...), outros ainda selos, moedas ou cuecas de senhora. Eu é mais livros. E vai daí, tenho ali na estante pérolas que vão desde os 21 volumes da colecção de "Os Cinco" (sou capaz de dizer os nomes de todos e pela devida ordem), ao "Anuário Diplomático Português" ou à "Homenagem a Maria de Lourdes Belchior", uma belissima edição da Fundação Calouste Gulbenkian, com 600 páginas, que uma vez me enviaram para o trabalho e que, muito embora tenha a certeza que nunca vou ler, sou incapaz de mandar para o lixo.

Às vezes vou até ao meu pseudo-escritório/quarto de visitas e fico ali, toda feliz, a admirar a minha bela livraria quem nem sequer é muito grande, mas que me dá muitos cuidados porque me ponho a pensar que nunca terei tempo para ler todos os livros de que gostaria e isso deprime-me.

Há dias, estava eu a tentar decidir o que iria ler a seguir, e dei com os olhos numa das minhas pérolas favoritas: "A mulher na Sala e na Cozinha", "O Mais Popular e divulgado Livro de Culinária Português", da autoria de Laura Alves, publicado vai para 40 anos pela Editorial Lavores, que aborda assuntos diversos, como etiqueta, cozinhados, bolos, doces, souflets, coktails, etc.

Baseada nessa grande obra, inicia-se aqui uma série de posts subordinados ao tema "Fadas do Lar". Ora aprendam:

A mesa de Jantar

As mais belas e modernas toalhas de jantar são todas em renda, crochet, filet ou renda de Veneza, na cor crua, continuando-se a usar as de linho bordadas ou com incrustações de renda.
A moda francesa está adoptando as toalhas sòmente bordadas ao centro e levando à volta como guarnição uma bainha ou recorte.
As ornamentações de mesa, mesmo para um jantar de certa cerimónia, são muito simples. Ao centro, uma taça de prata, metal ou loiça, o mais artística possível, com flores, cujos pés não devem ser muito altos, mas não tão baixos que lhes tirem toda a elegância. À volta desta taça, alguns fruteiros, pequenos, de prata, cheios de fruta da estação; aos topos dois candelabros de prata.
Os pratos serão postos um a cada conviva; (...) Em frente do prato, um pequeno conzeiro de metal, com dois ou três cigarros dentro, atendendo a que quase todas as pessoas fuamam.
(...) A criada, devidamente fardada, serve as travessas pela esquerda.
Às cabeceiras da mesa sentar-se-ão as pessoas de menor importância; ao centro os donos da casa. À direita do dono da casa sentar-se-á a senhora com quem se faz mais cerimónia e à direita da dona da casa, o cavalheiro com quem se deseja ter mais atenção.

Uma mulher tem de saber estas coisas (estás a ver, Clô, o jeito que dá um faqueiro Cutipol??) .

Comentários para quê?...





4 Comments:

Blogger Mascote said...

A minha mãe tb tinha esse livro. Tem lá mtas coisas engraçadas. São fantásticas as ementas do dia, constituidas por entrada, prato de peixe e prato de carne, e sobremesa! E todos os dias!

10:13 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

"As ornamentações de mesa, mesmo para um jantar de certa cerimónia, são muito simples. Ao centro, uma taça de prata, metal ou loiça, o mais artística possível, com flores, cujos pés não devem ser muito altos, mas não tão baixos que lhes tirem toda a elegância. À volta desta taça, alguns fruteiros, pequenos, de prata, cheios de fruta da estação; aos topos dois candelabros de prata."
Simples??? A partir de agora vou passar a convidar malta só para jantares temáticos, em que se coma com as mãos, que é para não haver complicações. e já agora, em que parte da mesa é que se põe o faqueiro? (a minha mãe matava-me se lesse isto...)
Gracinha

10:52 da manhã  
Blogger aNa said...

gostei das toalhas de mesa.
e dos cinzeiros com cigarros sobressalentes. nunca se sabe quando acabam os nossos ;)
mais um post excelente, my dear!

12:18 da tarde  
Blogger t&v said...

Gracinha, não quero que te falte nada, por isso cá vai: "à direita as facas e a colher de sopa; À esquerda o garfo de carne e o de peixe. Um pouco à direita os copos - o de vinho branco e de tinto e a taça de champanhe. O guardanapo à esquerda, simplemente dobrado em rectângulo."
(engraçado, sempre achei que o guardanapo era à direita)

:)
t&v

10:53 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home